Início

Se o destino for alcançável de moto
nós iremos lá!

Webmail Área Reservada

Trails de Verão Antero 2020 ou....

Trails das Quatro Estações Antero

Trails de Verão Antero? É verdade, mas este nosso passeio para motos Big Trail devia antes chamar-se “Trails das Quatro Estações Antero”. Preparado no Inverno, para ser feito na Primavera, foi feito no Verão, com a notícia a sair… já no Outono.

Limitado a 20 “bigtrailistas”, devido a esta maldita pandemia, voltamos agora ao ataque, com o apoio da Antero Motos e mesmo no final do Verão 2020. Tão no fim, que este dia de Verão…, já trazia alguns toques de Outono. É que a previsão de chuva para todo o dia do passeio provocou algumas desistências de última hora. Mas seguindo à risca o horário do dia, às dez da manhã, o grupo internacional de 17 “pilotos” (13 portugueses, 2 portuguesas, um inglês e um galelo) estava já em Felgueiras, com as suas motos todas prontas e alinhadas para se fazerem aos trilhos.

Se nos reconhecimentos, o muito pó esteve sempre presente, a expectativa era grande para perceber como é que as chuvas fortes dos últimos dois dias tinham alterado as condições dos caminhos. Terminado o briefing inicial, fizemo-nos à pista, a SS de Santa Quitéria, o primeiro dos cinco troços de terra do rali de Portugal que percorremos. Com uns regos novos e alguma lenha trazida pelas águas da chuva, que obrigava a algumas correções de trajetória, os troços estavam bem melhor do que se esperava.

Ler mais...

A Maravilha do Alentejo!!

MCP em Alter do Chão

Num ano atípico como o que estamos a passar, em que a maior parte dos projectos definidos foram cancelados devido à pandemia, o Moto Clube do Porto retorna às lides com toda a força e empenho que lhe é característico, e organiza um passeio a Alter do Chão com o objectivo de proporcionar aos sócios um fim de semana de relax e boa disposição, em que a distância percorrida foi grande mas os quilómetros de percurso foram os suficientes para desenferrujar as motos, respirar os ares sempre saudáveis daquela região e apreciar as paisagens calmas e serenas do Alentejo.
Com a recepção dos participantes no Hotel Vila Galé Collection Alter Real, começou o que viria a ser um passeio de eleição! Este hotel serviu de alojamento e de base aos 36 participantes, que usufruíram das suas magnificas instalações, do bom tempo convidativo para uns belos banhos de piscina, das massagens e dos espectáculos que este hotel proporcionou, como o dressage equestre e o espectáculo de falcoaria. Isto foi possível pelo facto de o Hotel Vila Gale ter sido inserido na Coudelaria Nacional de Alter do Chão, a mais antiga do mundo.
Com os jantares a serem servidos no salão Real, exclusivo para o MCP, e com todas as medidas preconizadas pelas regras em vigor, surgiram momentos de alegre convívio e disposição ajudados pela ementa escolhida e simpatia do staff do hotel.
O percurso escolhido para sábado com apenas 110 km, passou por Avis com paragem estratégica no Club Naval para um café, seguindo para Fronteira e Monforte por estradas secundárias que nos deliciaram pelas suas cores e algumas curvas tranquilas, continuando por Vaiamonte e Cabeço de Vide com grandes rectas para chegarmos à vila de Alter do Chão onde nos esperavam uns petiscos típicos do Alentejo  que nos deliciaram e sossegaram os estômagos. Gastronomia em alta…!
Antes do retorno ao hotel, tempo para uma visita ao castelo de Alter do Chão que com a sua escadaria exigente e radical nos fez apressar o passo (e a respiração), e neste caso também o acelerador, para um retemperado mergulho na piscina do Hotel.

Com um resto de tarde num " dolce far niente " e um cocktail em jeito de sunset, preparamo-nos para o espectáculo equestre e todo o mistério sobre o dito cujo. Belo momento!
Findo o jantar, momento para a distribuição de algumas ofertas do nosso patrocinador e apoiante incondicional Antero, que nos brindou a todos com um saco de lembranças e inclusive um voucher para compras nas suas instalações.
No dia seguinte e depois de um pequeno almoço relaxante, e à mesma hora do dia anterior, tivemos tempo para um convívio saudável, tranquilo, já que o espectáculo de falcoaria seria só as 10h, dando tempo para preparar as malas e carregar as motos.
Este espectáculo de falcoaria foi uma alegre surpresa para todos os participantes, pois para a maior parte era um assunto totalmente desconhecido. Foi uma autêntica aula de conhecimento e estudo!
Com partida do hotel às 12h iriamos percorrer 120 km para almoçar em Abrantes, em frente ao rio para mais uma refeição agradável e completa.

Com todas as despedidas feitas, foi rumar aos nossos destinos que com as incertezas climatéricas adversas no Norte, fez com que os últimos km da viagem fossem um pouco molhados demais para o nosso gosto!
Mas mesmo isso não conseguiu estragar a beleza do fim de semana passado, entre amigos, motociclistas, paisagens bonitas, gastronomia de eleição e a sensação de retornar a estrada!

Até ao próximo passeio!

Ler mais...

Normalidade em tempo de pandemia

AG fiscal aprovou por unanimidade contas de 2019

Em ambiente controlado, com acrescido espaçamento entre os sócios, uso obrigatório de máscara e o requintado aroma a álcool gel a fazer sentir-se na sede, a Assembleia geral dedicada à votação das contas de 2019 do Moto Clube do Porto decorreu de forma… normal. Dentro da ‘nova normalidade’, claro está.

Ato imprescindível na vida do clube e que havia sido adiado de 25 de março devido às condicionantes impostas pela situação pandémica causada pelo vírus SARS-CoV-2, respeitando as indicações do Governo e autoridades sanitárias, ao mesmo tempo que seguia à risca as determinações do Decreto-Lei n.º 10-A/2020 e da alteração estipulada pelo Artigo 2.º do/a Decreto-Lei n.º 24-A/2020, de 29 de maio, que estabeleceu medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica do novo Coronavírus - COVID 19.

Neste enquadramento legal e social, a AG fiscal aprovou por unanimidade as contas referentes ao exercício fiscal de 2019, que ditaram um valor de matéria coletável negativo (1752,65 €), sendo o lucro tributável de 26 010,37 € e os custos comuns de 27 763,02 €. Desta forma é nulo o valor tributável em sede de IRC. Resultado financeiro que foi ratificado pelos sócios sendo agora cumprida a sua comunicação às Finanças, sem qualquer penalização dada a situação excecional que vivemos.

Ao lado das forças da ordem

Apoiar quem mais precisa tem sido o lema do Moto Clube do Porto durante a situação de pandemia que revirou por completo a vida de todos e deixou os mais desprotegidos em situação crítica. Mas, sempre atentos à sociedade onde nos inserimos, apoiamos também quem nos protege e assegura o nosso bem-estar.
Por isso, uma vez mais, demos as mãos e ajudamos a suprir a escassez de material de segurança sanitária da Divisão de Trânsito da Polícia de Segurança Pública, do Porto, entregando ao Subintendente Ricardo Matos, Comandante daquela força, máscaras ‘sociais’, em tecido TNT, e luvas de nitrilo para que os agentes possam continuam a fazer o seu trabalho em condições mais seguras. É um orgulho poder ajudar quem nos protege.

 

Sede abre todas as sextas até final de Julho

Momento muito aguardado, sobretudo pelo que representou em termos de regresso à normalidade possível, a reabertura da sede do MCP na primeira sexta-feira de junho, dia 5, foi assinalada com muita conversa e festejada com… pão de ló. Cumprindo as limitações impostas pela Direção Geral da Saúde em termos de ocupação, bem como o uso obrigatório de máscaras de proteção e desinfeção constante, os sócios do MCP não enjeitaram a possibilidade de voltar ao polivalente espaço que, mais do que nunca, justificou a ampla dimensão ao permitir um bom espaçamento entre todos. E todos conversaram, tomaram um café ou uma cerveja acompanhada da doçaria trazida do Marco de Canavezes pelo sócio Modesto Correia, numa noite que será repetida todas as sextas-feiras até final de julho. Uma excelente oportunidade para dar início ao desconfinamento motociclístico e clubístico, numa altura em que a reabertura total exige ainda bastantes cautelas.

Nem o vírus nos para!

MC Porto continua em ação!

200702 Apoio CASA 06Seria preciso muito mais do que um “simples” vírus para parar o Moto Clube do Porto! É verdade que o SARS-Cov-2 obrigou a grande recato social e levou a que fossem adiados passeios e outras iniciativas. Ditou que ficássemos confinados para conter o avanço da crise pandémica, popularizou o teletrabalho e recuperou a Tele Escola. Mas, nem assim, os sócios do MCP pararam! Corremos e andamos de moto, ajudando a RunPorto, de forma bem real ainda que num plano virtual, como contribuímos para o apoio social, mostrando solidariedade com as famílias mais expostas à crise económica gerada pela COVID-19.

Aos mais carenciados levámos e vamos continuar a proporcionar alimentos, apoiando a CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo que, nesta altura, ficou ‘sem mãos a medir’, tamanha é a procura dos seus serviços. O fundo de apoio criado para que todos os sócios e amigos do MCP possam dar o seu contributo foi, uma vez mais, utilizado para ajudar a matar a sede a quem mais precisa. Com o apoio sempre presente da Henisa, entregamos mais de 3000 garrafas de água para serem distribuídas juntamente com as cerca de 400 refeições que, diariamente, são entregues aos sem-abrigo da nossa cidade. É o nosso contributo para minimizar uma situação que expôs sobremaneira as carências de uma boa parte da população. Contributo social a que não fugimos, dizendo presente sempre que é preciso, e que vamos continuar a fazer, porque a solidariedade é, desde sempre, atitude que distingue os verdadeiros motociclistas. Para manter viva esta chama de esperança para quem mais precisa, podes fazer a transferência para conta do MCP com o IBAN PT50 0010 0000 3859 5020 0016 7, e seguir o apoio através do ‘conta-doações’ atualizado no site do MCP.

200702 Apoio CASA 01200702 Apoio CASA 02200702 Apoio CASA 04200702 Apoio CASA 03200702 Apoio CASA 05

MCP continua a apoiar os mais carenciados

Com a vida a retomar a normalidade possível, é provável, infelizmente, que venham a surgir mais casos de necessidades extremas motivadas pelo fortíssimo impacto económico causada pela crise de saúde pública. Sempre atento às necessidades dos mais desfavorecidos, o Moto Clube do Porto vai manter o apoio à CASA – Centro de Apoio ao Sem-Abrigo, de forma a fazer chegar apoio alimentar às famílias mais carenciadas. E, apesar de podermos pensar que o ‘pesadelo’ já acabou, a verdade é que devemos estar preparados para ajudar a enfrentar a ‘má onda’ que aí vem.
Continuaremos a apoiar quem mais precisa, ‘dando a mão’ aos voluntários da CASA na preparação de refeições para os sem-abrigo do Porto bem como na aquisição e entrega de alimentos às famílias que, tendo um teto para viver, não possuem, neste momento, capacidade económica para comprar bens essenciais para alimentação. O fundo de apoio criado para que todos os sócios e amigos do MCP possam dar o seu contributo vai continuar ativo, pronto a responder, em tempo real, às necessidades do programa de apoio às famílias CASA Amiga.
Para continuar a apoiar quem mais precisa, é possível fazer uma transferência através da conta do MCP com o IBAN PT50 0010 0000 3859 5020 0016 7, sendo beneméritos de imediato informados da sua dádiva, em contas que serão, obviamente, explicadas detalhadamente a todos sócios, mantendo a política de transparência e rigor que desde sempre é apanágio dos Corpos Sociais deste clube.
Tudo em prol dos valores de solidariedade que é, agora mais do que nunca, atitude que distingue os motociclistas e que, por isso mesmo, estimula-nos a apoiar, também, o projeto Porto d’Apoio. Campanha de recolha de alimentos não perecíveis (arroz, massa, atum, salsichas, óleo, bolachas, etc) que podem ser depositadas nas instalações do Moto Clube do Porto em dias de sede aberta. Uma iniciativa do Banco Alimentar Porto, a decorrer até dia 31 de julho, que permite aos sócios do MCP colaborar, deixando os alimentos em caixas próprias que estarão na sede, devidamente identificadas com cartaz explicativo da iniciativa.

 

Com saudades de ir à sede?

Reabertura é já a 5 de junho

Ultrapassada que está a fase mais complicada da crise pandémica causada pelo novo coronavírus, o SARS-CoV-2, o Mundo regressa, de forma serena e cautelosa, a uma nova normalidade. Alinhado pela sociedade civil e respeitando todas as indicações governamentais através do Ministério da Saúde e da Direção Geral da Saúde, o Moto Clube do Porto vai, também, retomar a atividade social, com a reabertura da Sede no dia 5 de junho, sexta-feira.
Tomar um café, beber um copo ou ‘dar duas de conversa’ passa a ser possível todas as sextas-feiras, mas sempre com os cuidados que nos são impostos para evitar o recrudescimento da COVID-19. Medidas preconizadas pela DGS e outras entidades para garantir que o regresso à normalidade é feito de forma segura e controlada, evitando assim um retrocesso que nos poderá voltar a remeter ao confinamento e, até, limitar os nossos tão desejados passeios de moto.
Por isso, preparem-se para sair no dia 5 de junho e viajar até à Sede do MCP onde, a partir das 21h30, com o aconselhado distanciamento social e usando máscara de proteção nos momentos indispensáveis, os elementos dos Corpos Sociais vos irão receber para marcar de forma indelével este ‘retorno a casa’. Ahhh… E o álcool gel, para desinfetar as mãos, é por conta da casa!

Quando o sonho ajuda a vencer a crise

Em Borgo Panigale, zona industrial ali mesmo ao lado da italiana cidade de Bolonha, já se ouvem as máquinas da linha de montagem da Ducati. Um pouco mais a norte, em Varese, a MV Agusta prepara-se para regressar à ‘nova normalidade’. A Yamaha está a postos para reabrir as fábricas de Itália (Minarelli, em Calderara di Reno) e França (MBK, em Saint-Quentin) à imagem do que se passa um pouco por toda a Europa. Por todo o Mundo, aliás.
Sinais de uma esperança que, sabemos, em breve nos permitirá um quotidiano diferente. Daquilo que vivemos agora, confinados que estamos a quatro paredes, mas também do que era antes. Haverá limitações, é certo, bem como muitas dificuldades, já se sabe. Mas haverá, também, a possibilidade de voltar a andar de moto, de passear, de conviver. Motivo, só por si, para conseguir arrancar um sorriso como aquele que, agora mesmo, lhe surgiu no rosto.
O Moto Clube do Porto não parou e, desdobrando-se em reuniões virtuais, à distância de um ecrã de computador, preparou-se para um futuro que vai chegar com muitas novidades. O calendário de atividades vai ser adaptado a uma nova realidade, mas terá, claro está, passeios e outros eventos, jantares, festas e noites temáticas. Espaço de comunhão de um estado de espírito ímpar, de quem vive o motociclismo de forma sobriamente apaixonada, dos que usufruem na plenitude das duas rodas. Que, em tempos de limitações e novas regras, deverão reforçar estatuto de ‘rainhas da mobilidade’, com previsível aumento de vendas graças aos que, de uma vez por todas, se verão rendidos às inegáveis vantagens das motos e scooters no quotidiano citadino. Forma, também, de ajudar a mitigar os (enormes!) danos provocados no comércio, com muitos concessionários encerrados ou a laborar a ‘meio gás’. Descida brutal nas vendas, de motos e acessórios, que criou dificuldades a muitos stands mas, por outro lado, geradora de novos modelos de negócio como a cortesia de levantar e entregar a moto em casa do cliente, sejam novas ou regressadas de uma revisão.
‘Simpatia’ que é de aproveitar porque, é certo, vai voltar o tempo de andar de moto em toda a liberdade. Algo que, sublinhe-se, mesmo com limitações – as mesmas dos automóveis – pode continuar a ser feito, com a vantagem de, e apenas em caso de deslocação imprescindível!, poder usufruir de estradas desertas e um ar muito mais respirável. Quanto aos que aguardam em casa por melhores dias, em teletrabalho ou à espera do arranque das empresas, resta manter a sua ‘mais-que-tudo’ nas melhores condições, controlando a carga da bateria, a pressão dos pneus (não vão eles deformar-se com a longa e inusitada paragem, à imagem dos ‘pneus’ do dono…) ou os níveis dos fluídos.
E depois, com a certeza de que #VaiFicarTudoBem, vamos voltar à estrada para os passeios com os amigos, aqueles que o Moto Clube do Porto está a reagendar para a segunda metade do ano ou o Lés-a-Lés que, já se sabe, foi adiado para os primeiros dias de outubro. Porque, primeiro há que cumprir as prioridades. Que, neste momento, se prendem com questões de saúde pública.
A mesma preocupação que levou federações e promotores a reorganizar o calendário dos campeonatos do mundo de MotoGP, Superbikes, Motocrosse ou Enduro, além de todas as corridas nacionais. Mas lá chegará o tempo em que voltaremos a ouvir os motores cantarem a plenos pulmões nos circuitos de todo o Mundo. Até lá, vamos entretendo-nos com muitas corridas de sofá e acreditar que a esperança sempre vence. E acreditar, por fim, que vamos dar a volta a esta triste sina a tempo de aproveitar a gasolina mais barata dos últimos anos. Para passear de moto!
Por isso, protejam-se e cuidem dos Vossos.

Solidários com os sem-abrigo do Porto

Ajudar os mais desfavorecidos a ultrapassar a mais dura crise sanitária e económica de que há memória

Somos motociclistas! Somos solidários! São assim os sócios do Moto Clube do Porto. Não é pelo facto de as motos estarem paradas nas garagens e os capacetes guardados que deixamos de cumprir o nosso papel social. Neste tempo de acrescidas dificuldades e enormes incertezas, voltou ao de cima, uma vez mais, sentimento de enorme solidariedade, apoiando a associação CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo.
Ajudar quem mais precisa foi o compromisso assumido e cumprido, entregando alimentos para serem distribuídos por famílias ainda mais fragilizadas perante o estado de emergência ditado pelo governo e que deixou muitos sem qualquer fonte de rendimento. Assim, ‘deitamos mãos à obra’ e carregamos azeite, bolachas, feijão, atum, massas diversas, cereais, salsichas e leite para compor os cabazes que os voluntários do CASA entregam às famílias carenciadas que necessitam de apoio para sobreviver.
Um esforço solidário que continuou com a aquisição de vários milhares de garrafas de água para juntar às centenas de refeições que diariamente são servidas nas instalações do Hospital Joaquim Urbano aos sem-abrigo da cidade. Apoio que ajudou a resolver um problema inesperado, criado pela necessidade de ‘afastamento social’, que impede de servir à mesa aquela que é, para muitos, a única refeição do dia. Os voluntários são agora obrigados a entregar aos sem-abrigo um kit alimentar, até aqui desprovido de líquidos, impossibilitados que estavam do habitual acesso à água da companhia dentro do refeitório. Mas que, para já, foi amenizado graças ao esforço solidário de sócios e amigos do MCP, cabendo uma palavra de agradecimento ao Henrique Araújo, proprietário da Henisa – Cash & Carry cuja generosidade tem permitido carregamentos ainda mais compostos, com a doação de vários bens alimentares.
Uma tarefa que, infelizmente, urge continuar, já que a necessidade de isolamento social vai ampliar os problemas vividos pela franja mais desfavorecida da população. Por isso, numa fase em que a palavra de ordem é #FicarEmCasa, o MCP vai continuar a apoiar, podendo os donativos para ajudar a associação CASA (https://casa-apoioaosemabrigo.org/) continuar a ser feitos para a conta do Moto Clube do Porto com o IBAN PT50 0010 0000 3859 5020 0016 7.

 

WTC sofre alterações com a gestão da pandemia

MCP tem pontuado para o campeonato do mundo de Touring

O World Touring Challenge viu o seu calendário alterado por força da situação mundial de gestão da pandemia devido ao Covid-19.
Dos eventos que constavam no calendário, muitos foram cancelados e outros foram alterados.
A 44ª Volta Internacional a Mallorca foi adiada para o fim de semana de 24 e 25 de Outubro; O Lés a Lés passou para os dias 2 a 4 de Outubro; o Internacional Meeting days da Bélgica foi cancelado neste ano, e virá a ser realizado novamente em 2021; Faro, para já, continua de pé e válido; FIM Mototour das Nações na Turquia e FIM Rally em Itália foram adiados para 2021, mas as pontuações serão atribuídas na mesma aos actualmente inscritos (estes dois eventos eram de presença obrigatória). Os restantes eventos, Laghi della Garfagnana Itália, 20.000 Lieux Sur Mer Suiça e Travesia Centro Americana em Guatemala/Honduras/S.Salvador continuam no calendário, activos e a espera de noticias.
Teremos que analisar mais para a frente se os pontos que o MCP detém são já suficientes e válidos para validar o título, ou se terá de estar presente em mais algum destes eventos aqui referidos!
Tem de estar presente sempre e de qualquer forma, em Faro, no Lés a Lés e em Mallorca!!
Os nossos sócios têm estado atentos, e para já, pontuaram em todos os eventos que podiam. Parabéns aos sócios do MCP e à sua fantástica disponibilidade e mobilização!
Vamos continuar atentos e activos na obtenção deste titulo.
Quem vai a Faro, ao Lés a Lés e a Mallorca?? (enviem a informação sobre a vossa presença para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. )

A Direcção
Moto Clube do Porto

Apoio à CASA - Parte 2

Água para combater a COVID-19

MCP continua (e continuará…) a apoiar os sem-abrigo nesta fase de crise pandémica e económica
 
Incapazes de ‘virar a cara’ à luta, solidários como só os motociclistas sabem ser, os sócios e amigos do Moto Clube do Porto continuam a apoiar quem mais precisa nesta altura de acrescidas carências. Por isso, mantemos o compromisso de ajudar a associação CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo onde já entregamos nova dose se apoio, agora para ajudar a servir refeições àqueles que vivem na rua. 
 
Solidariedade transformada em quase 3000 garrafas de água para acompanhar as refeições que, diariamente, são entregues nas instalações no Hospital Joaquim Urbano. E que, assim, vão suprir a alteração ditada pela necessidade de ‘afastamento social’. Medida que impede de utilizar servir à mesa aquela que é, para muitos, a única refeição do dia, obrigando a entregar aos sem-abrigo um kit alimentar, até aqui desprovido de líquidos, impossibilitados que estavam do habitual acesso à água da companhia.
 
Esforço solidário que contou, uma vez mais, com o apoio e generosidade do nosso sócio Henrique Araújo, da Henisa – Cash & Carry, que ofereceu mais uma boa dose de garrafas para compor ainda mais a encomenda, ajudando a mitigar as dificuldades de quem, nestes tempos estranhos, é ainda mais afetado pela crise. Encomenda que não será a última porque, numa fase em que a palavra de ordem é #FicarEmCasa, o MCP vai continuar a apoiar, podendo os donativos para ajudar a associação CASA (https://casa-apoioaosemabrigo.org/) continuar a ser feitos para a conta do Moto Clube do Porto com o IBAN PT50 0010 0000 3859 5020 0016 7. Verbas que, serão convertidos em bens alimentares à medida das necessidades dos mais desprotegidos, para ajudar quem mais precisa a ultrapassar esta crise causada pelo novo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2).

Aqui relembramos o video da 1ª entrega

 
 

Já estamos a ajudar quem mais precisa

Primeira ‘dose’ de apoio solidário entregue no Centro de Apoio ao Sem Abrigo. Mas não vamos parar por aqui…

Compromisso assumido… e cumprido! Já foi entregue na CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo a primeira remessa de alimentos para serem distribuídos pelas famílias mais carenciadas que, nesta fase de recolhimento obrigatória ditada pelo estado de emergência, estão ainda mais fragilizadas. Um esforço solidário de sócios e amigos do Moto Clube do Porto, transformado em azeite, bolachas, feijão, atum, massas diversas, cereais, salsichas e leite, adquiridos na Henisa – Cash & Carry em cabaz ainda mais composto graças à generosidade do nosso sócio Henrique Araújo.

Bens que levaram sorrisos a muitos lares mas que, infelizmente, não chegam… Por isso – e porque a crise ainda vai durar mais algum tempo – vamos continuar a ajudar, dando o contributo possível, sem correr riscos e sem colocar a sua família em risco, nesta fase em que a palavra de ordem é #FicarEmCasa.

Os donativos para ajudar o projeto Casa Amiga (https://casa-apoioaosemabrigo.org/) poderão continuar a ser feitos para a conta do Moto Clube do Porto com o IBAN PT50 0010 0000 3859 5020 0016 7, que, depois, se encarregará de os converter em bens alimentares à medida das necessidades dos mais desprotegidos.
E assim, solidários como sempre fomos e como só os motociclistas o sabem ser, vamos ajudar quem mais precisa a ultrapassar esta crise causada pelo novo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2). Inimigo invisível mas extremamente perigoso que, a nós, motociclistas, nos tem impedido de fazer o que mais gostamos: andar de moto; mas que a outros, os sem abrigo e os mais carenciados, tem criado problemas muito mais graves.

Paixão de quarentena

Coronavirus colocou o Mundo em stand-by e nem as motos escapam

MCP OriginalEstranhos tempos estes em que um ser microscópico consegue fazer parar o Mundo, confinar-nos a quatro paredes e obrigar a mudar os nossos hábitos. Um agente infecioso com nome de importante ação secreta – SARS-CoV-2 – e que mede apenas 50 a 200 nanómetros (milionésimo de milímetro) mas que nos impede de fazer, entre muitas outras coisas, aquilo que mais gostamos: andar de moto. Um ‘monstro’ do tamanho do Mundo que obrigou, também, o Moto Clube do Porto a tomar medidas drásticas, adiando todos os eventos previstos para estes meses e cancelando mesmo alguns deles, além de proceder ao encerramento temporário da sede.

O estado de emergência, ditado pelas autoridades nacionais, foi o passo lógico depois da Organização Mundial de Saúde ter declarado a existência de uma pandemia devido à enorme e imprevisível evolução do surto de COVID-19 (a doença), com crescimento exponencial do número de casos suspeitos, de doentes infetados e mortes pelo novo coronavírus. Gravíssimo problema que saúde pública que originou situações inéditas no motociclismo mundial, como em todos os setores da vida, levando as autoridades desportivas a adiar ou mesmo cancelar inúmeras provas, de cariz regional, nacional e mundial. Mas, para lá do que se está a passar em termos competitivos, poucas são as indicações sobre o que fazer no dia-a-dia sobre duas rodas, para contribuir na necessária contenção da pandemia.

A resposta é clara e passa pelo respeito absoluto às indicações emanadas pelo Governo, entidades de saúde e forças de autoridade. Que, decretando o estado de emergência, tendem a limitar a circulação pública de pessoas, restringindo a possibilidade de propagação viral. Claro que, enquanto ainda é permitido circular, há cuidados que os motociclistas devem respeitar de forma escrupulosa.
Em primeira análise, há que seguir à risca as indicações do Governo e da Direção Geral de Saúde, evitando comportamentos de risco como os ajuntamentos de pessoas tanto mais que as concentrações são ilegais neste período. E mesmo os passeios domingueiros são desaconselhados, tal como todas as atividades de lazer, incluindo, naturalmente, a prática do off-road. Tanto mais que, sendo uma atividade que acarreta alguns riscos físicos, é desaconselhada já que, em caso de acidente, iria sobrecarregar o Serviço Nacional de Saúde já de si bastante sobrecarregado por estes dias. Também no seguimento das recomendações gerais, transversais a todas as atividades, quase todos os concessionários e lojas de motos ou equipamentos bem como as oficinas, encerraram os seus serviços ou, pelo menos, reduziram horários e pessoal disponível. Neste caso poderá haver a possibilidade de alguns serviços serem afetados, pelo que é conveniente confirmar se a revisão agendada será feita nessa data ou, talvez não seja pior, reagendar essa mesma intervenção para depois desta crise.
Claro que, e pelo menos nesta fase, a circulação de moto não está proibida – como não está, para já, a de qualquer veículo – podendo continuar a ser utilizada para as deslocações indispensáveis, nomeadamente para os locais de trabalho daqueles que ainda não o podem fazer a partir de casa. Mas também para as idas a supermercados ou bancos, médicos ou farmácias, desde que respeitando as limitações aconselhadas. Além disso, atendendo à maior exposição dos motociclistas ao meio ambiente, é altamente aconselhável uma defesa reforçada contra o novo coronavírus, protegendo de forma eficaz as vias respiratórias, através de máscaras específicas ou, pelo menos, com os tradicionais buff’s além de serem mais aconselhados capacetes integrais. Mas, sublinhe-se, a medida mais eficaz nesta luta desigual, contra um inimigo minúsculo mas muito traiçoeiro e oportunista, passa mesmo por FICAR EM CASA.
Um conselho a seguir de forma escrupulosa já que quanto maior for o cuidado nesta fase de expansão da pandemia, mais rápida deverá ser a contenção da crise pandémica e aí, sem receios ou limitações, mais depressa poderemos voltar a usufruir livremente do prazer de andar de moto. Protejam-se, a vocês, família e amigos, ficando em casa.
Já agora, como ainda não se sabe quanto tempo demorarão estas limitações, ligue um carregador à bateria da moto para garantir a sua boa manutenção e não ter percalços quando chegar a altura de voltar à estrada.

A direcção do Moto Clube do Porto

Vamos apoiar quem mais precisa

Solidariedade com as famílias mais carenciadas sem sair de casa ou correr riscos

A crise pandémica que revirou por completo as nossas vidas, afetou de forma ainda mais brutal a dos mais desprotegidos. Pessoas que vivem nas ruas a quem o novo coronavírus deixou ainda mais expostas às dificuldades de um dia-a-dia de agruras, com o encerramento de restaurantes e as limitações nos supermercados – onde, por vezes, encontravam alguma esperança de alimento – a criar dificuldades acrescidas. Mas também de famílias que, tendo um teto para viver, não possuem capacidade económica para comprar bens essenciais para alimentação. Situação tanto mais dramática porque os conselhos de isolamento social, para minimizar os riscos de transmissão da COVID-19, levaram à redução, quando não à suspensão, das atividades de muitas instituições de apoio social. Neste contexto, aqueles e aquelas que, corajosamente, ‘teimam’ em apoiar os mais necessitados ficaram numa situação mais complicada, com o aumento de casos a precisar de alimentos e com a redução de apoios.

A CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo foi uma das instituições que, mau grado as dificuldades exponenciadas nesta fase crítica, não virou a cara à luta. E que, para ajudar quem mais precisa, não hesitou em pedir ajuda aos amigos motociclistas. E, claro, o Moto Clube do Porto não poderia virar as costas a esta situação de extrema carência que deixou muitos concidadãos em posição de extrema fragilidade. Por isso, vamos ajudar!

Criamos um fundo de apoio para que todos os sócios e amigos do MCP possam dar o seu contributo para adquirir arroz, esparguete, cereais, leite, azeite, farinha, açúcar, massa, polpa de tomate, sal, bolachas, óleo, enlatados (feijão, grão, salsichas, atum) ou café solúvel. Bens destinados ao programa de apoio às famílias CASA Amiga, que serão adquiridos na Henisa, nosso parceiro de longa data, que, por seu turno, fará a entrega diretamente nas instalações da CASA, evitando assim que os sócios do MCP corram qualquer risco de contágio. E com contas, que serão, obviamente, explicadas detalhadamente aos sócios, mantendo a política de transparência e rigor que desde sempre é apanágio dos Corpos Sociais deste clube.

Fica assim mais fácil e seguro apoiar quem mais precisa, fazendo a transferência através da conta do MCP com o IBAN PT50 0010 0000 3859 5020 0016 7, comprovando que a solidariedade é atitude que distingue os motociclistas.

O gráfico que ilustra este texto será atualizado regularmente para dar conta dos valores agariados e dos valores aplicados na ajuda.

Para lá do Marão…..

S. Pedro  em “versão” bipolar

192 Trails MCP Ducati Norte 2020O passado domingo dia 8 de março foi a prova do acima escrito!

Uma vez mais a Ducati Norte recebeu nas suas instalações os participantes ao primeiro passeio vocacionado para o segmento de Big Trails e de cariz off-road; ao mesmo tempo que se iam revendo velhos conhecidos e conhecendo caras novas, todos puderam apreciar os novos lançamentos desta icónica marca italiana enquanto petiscavam o agradável pequeno almoço oferecido pelo Eng José Manuel Costa e restante equipa.

Quase à hora marcada a caravana saiu em direção a Amarante (debaixo de uma chuva que desapareceu por alturas de Penafiel), onde se fez uma curta paragem para atestar os depósitos. O grupo subiu até ao Fridão onde, finalmente, encontrou o terreno mais do seu agrado – a terra! Daí até Ansiães percorremos o conhecido troço do Marão, cruzamos o vale em direção à EN15 e voltamos ao off-road para passarmos sob a A4; aqui tivemos de enfrentar o primeiro (e podemos dizer único) desafio do passeio, uma subida algo acentuada e com pouca aderência, que “deu que fazer” às motos mais pesadas e mostrou o espírito de entreajuda que fez com que todos chegassem ao cimo. Com o aproximar dos cumes da Serra do Marão chegou uma desagradável chuvinha que nos acompanhou até ao Carneiro e Mafómedes; subimos à Senhora da Serra (o ponto mais alto da Serra do Marão, com 1415m de altitude), que ninguém viu, pois estávamos no meio da nuvem! Ao começarmos a descer para Santa Marta, S. Pedro mostrou-nos a sua faceta bipolar - saímos da nuvem e o céu abriu-se, mostrando toda a beleza dos vinhedos do vale da EN2.

Ler mais...

MCP na Guatelama...

...por Filomena e Abel Gomes

E foi de uma forma completamente inesperada que nos vimos envolvidos no que classifico como uma aventura até à Guatemala.
O desafio foi do MCP, participar numa Convenção Internacional BMW Motorrad Club que faz faz parte do WTC, “World Touring Challenge” com a atribuição de um certificado de campeão mundial de Touring a um Moto Clube, sendo este atribuído pela FIM (Federação Internacional de Motociclismo). Este foi um dos eventos por nós escolhido para ajudar o MCP a pontuar para ganhar este troféu.

E assim foi, 3 motociclistas, eu como pendura e o delegado da FIM ao evento, iniciamos aquilo que previa ser uma longa viagem até ao destino final. A viagem ainda foi um pouco mais longa para lá, pois ventos fortes obrigaram a um desvio da rota. E assim sobrevoamos um pouco da calote do ártico.

Entre Porto, Frankfourt, México e Guatemala, mais de 24h no total, entre voos e escalas, com passeios nos corredores dos respetivos aeroportos, filmes nos aviões e alguns períodos dedicados à sonolência. Foi às 6h da manhã que saímos daqui tendo lá chegado por volta das 23H30m (hora local).

Ler mais...

O MCP no WTC - Guatemala

Objetivo alcançado

A participação dos sócios Modesto Correia, Aurélio Morais, Abel Gomes e Filomena Ramos no Convention BMW Motorrad na Guatemala, garantiram ao Moto Clube do Porto (MCP) afirmar-se na corrida para ser o primeiro clube e pela primeira vez no mundo, campeão Mundial de Touring por clubes.

Como anteriormente comunicado, vai na terceira edição o WTC “World Touring Challenge” atribuído um certificado de campeão mundial de Touring a um motociclistas e a um Moto Clube, mas que nunca nenhum clube ganhou.

Este que é um novo troféu internacional oficial atribuído pela FIM (Federação Internacional de Motociclismo).

Já em Janeiro 3 sócios estiveram em representação do clube no primeiro evento pontuavel do ano, a 38° La Leyenda Continua em Espanha, e agora estes 4 sócios estiveram neste evento para pontuar mais uma vez pelo MCP no WTC.

Mas como não poderia deixar de ser, foi a oportunidade destes conhecerem uma realidade muito diferente da nossa e passear de moto por paisagens de cortar a respiração.

Tudo isto condimentado com estradas de montanha abertas ao público em que circulam camiões a grande velocidade, e onde o piso varia entre asfalto de má qualidade e terra batida com lombas e buracos abundantes.

Este foi um evento importante de pontuar para os nossos anseios, dada que para o clube poder ser elegível para o campeonato é obrigatório de pontuar num evento fora da Europa, para além de pelo menos 8 eventos no ano, incluindo obrigatoriamente o FIM Rally e o FIM Mototour of Nations.

Gostarias também de participar?... E ajudar o MCP a ser o primeiro clube a nível Mundial a o conseguir?

Então junta-te a nós e aos que já participaram ou vão participar.

Ler mais...

O MCP no WTC na Guatemala

Este ano o Moto Clube do Porto desafiou os sócios a fazer algo inovador e inédito em termos de Mototurismo, o de ser o 1º a se sagrar campeão Mundial de Touring por clubes. 
Vai já na terceira edição o WTC “World Touring Challenge”, com a atribuição de um certificado de campeão mundial de Touring a um motociclista, mas nunca foi atribuído a um Moto Clube. Este troféu atribuído pela FIM (Federação Internacional de Motociclismo) é uma novidade em termos de motociclismo, mas será sem dúvidas um dos mais disputados no futuro.

Para tal o MCP desafiou os seus sócios a participarem em sua representação nos eventos pontuáveis para este desafio. É sempre necessária a presença no mínimo de 3 sócios caso contrário o clube não poderá pontuar.

Já em Janeiro 3 sócios estiveram em representação do clube no primeiro evento pontuavel do ano, a 38° La Leyenda Continua em Espanha, dando início ao nosso objetivo.

Agora acabados de chegar à Guatemala estão 4 bravos sócios (e sócia) que em representação do clube estão neste evento para pontuar mais uma vez pelo MCP no WTC, neste que é um evento obrigatório de participação para o clube poder ser elegível para o campeonato.
Por isso felicitamos desde já os sócios Modesto Correia, Aurélio Morais, Abel Gomes e Filomena Ramos, por terem abraçado este desafio e assim contribuírem para o objetivo final no nosso clube.

Ler mais...

Formação de 1ºs socorros...

... para Motociclistas

No passado sábado 15 de Fevereiro realizou-se mais uma Formação em Primeiros Socorros na nossa sede.

Responderam 13 pessoas ao desafio de saber mais nesta área muito importante, de entre elas vários jovens que muito bem entenderam a sua importância.

Com o objetivo de transmitir conhecimentos básicos de uma forma simples, mas que podem fazer a diferença em caso de acidente, foram explicados os princípios básicos e procedimento para um socorro seguro e alguns truque que podem ajudar em situações reais.
Seguidamente foram explicadas as técnicas do suporte básico de vida, seguindo-se a parte prática com manequim próprio para uma melhor aplicação de conhecimentos, Ainda antes os participantes recarregaram energias para o esforço que se seguiria, com um lanche que lhes foi preparado para o efeito.

Como habitual a Anatilde foi a nossa formadora de serviço, que com a sua grande experiência de rua ao serviço da VMER (viatura médica de emergência) do INEM, apresentou de uma forma simples e clara as técnicas e esclareceu todas as dúvidas sobre este tema.

No final foi unânime a satisfação de todos pelos conhecimentos adquiridos e na necessidade de anualmente se ter a possibilidade de treinar e atualizar estes conhecimentos.

Deambulando pelo Minho

10 Sabores do MinhoO passado sábado, 8 de Fevereiro, foi o dia escolhido pelo Moto Clube do Porto para, com o apoio da MotoTrofa, levar uma caravana de 31 motos a Ponte de Lima.
O amanhecer cinzento não assustou ninguém e às 8:30h, ao mesmo tempo que as portas da MotoTrofa se abriam, chegavam os primeiros participantes. Foi tempo, então, para apreciar as últimas novidades em equipamento e motos, dar dois dedos de conversa e petiscar o ótimo pequeno almoço com que, como é costume, os nossos anfitriões nos brindaram. Os últimos minutos serviram para agradecer o apoio que o Francisco e a Isabel dão ao nosso Clube e fazer um rápido briefing com as informações mais importantes para o bom desenrolar do passeio.
Com um ligeiro atraso, em relação à hora prevista, fizemo-nos à estrada com uma ligação rápida até Vila Verde onde, finalmente, chegou a hora de poder apreciar as paisagens e as estradas minhotas, com passagem por Pico de Regalados, Portela de Vade e Ponte da Barca, onde nos juntamos ao Rio Lima até chegarmos ao nosso destino - Ponte de Lima.
Esta antiga vila recebe bem os motociclistas, proporcionando-nos um excelente estacionamento para as nossas “meninas”, no centro histórico, mesmo junto à ponte romana; estava na hora da visita ao Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde onde, para além da exposição dos diversos utensílios utilizados no cultivo da vinha e na produção do vinho, pudemos ficar a conhecer a sua história e particularidades, finalizando a visita com uma prova de vinhos. Como ainda era cedo para almoçar, pudemos passear pelas ruelas do centro histórico antes de nos dirigirmos para o restaurante onde, depois das entradas, pudemos deliciar o palato com o arroz de sarrabulho acompanhado pelos rojões, tudo bem regado pelo branco ou tinto, antes de terminar com o leite creme, pudim, diversos bolos e café. Ao contrário do ditado popular - “barriga cheia, companhia desfeita” – o grupo continuou coeso na travessia da ponte a caminho da outra visita programada, o Museu do Brinquedo Português; foi uma verdadeira viagem no tempo à nossa juventude, (re)vendo brinquedos que encheram os nossos primeiros anos de vida. A última sala foi a que mais nos marcou e deslumbrou, com a maquete de uma cidade, com comboios, teleféricos, aeroporto, …. , que a todos recordou uma idade mais avançada onde quase todos nós brincamos com pistas de slot e comboios.
Com o avançar da tarde, e com a hora de regresso a chegar, alguns decidiram seguir diretamente para as suas casas (ou em alguns casos para o Estádio do Dragão 😊) enquanto os resistentes rodaram em grupo de volta à MotoTrofa onde ainda tiveram tempo para fazer um Test Drive às novidades.

Ler mais...