Início

Se o destino for alcançável de moto
nós iremos lá!

Webmail Área Reservada

25º Moto Rali do MC Porto

25º Moto Rali MCPPelas surpresas da História…

25.º Moto Rali do Moto Clube do Porto surpreendeu uma centena de divertidos aventureiros à descoberta da Beira Alta

Comemorando um quarto de século de grandes histórias de descoberta do património nacional e da gastronomia, dos sabores e saberes locais, o Moto Rali do Moto Clube do Porto, cumpriu a 25ª edição, com epicentro em Santa Comba Dão e subordinado ao tema 25 Anos – 25 Surpresas. Momento histórico para o mototurismo nacional, recuperando o espírito divertido da Passeata Turística na Beira Baixa, pelas aldeias do Piódão, Monsanto, Penha Garcia e Sortelha realizada a 6 e 7 de julho de 1992, e que apostava em voltar a surpreender pela inovação, juntando cultura e paisagens à tradição e à oportunidade ímpar de descobrir belos e pouco conhecidos recantos da Beira Alta.

Evento de abertura do 23.º Troféu de Moto Ralis Turísticos, realizado sob a égide da Federação de Motociclismo de Portugal, que começou com a primeira das ‘25 Surpresas’ prometidas, ao começar no feriado de 25 de abril e continuando com o facto de arrancar numa… sexta-feira! Assim, a abertura do secretariado aconteceu em pleno Dia da Liberdade, com a receção dos participantes no fantástico complexo Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa, mesmo junto à barragem, local privilegiado para estágios de atletas de alta competição de todo o mundo, sobretudo praticantes de canoagem, incluindo o campeão mundial de K1 1000 m. Fernando Pimenta. Condições de excelência da unidade hoteleira, bem aproveitadas pelos mototuristas, que não enjeitaram oportunidade de umas braçadas na piscina interior climatizada ou aproveitar para fazer uma sauna. Os menos dados às atividades físicas puderam aproveitar bares e esplanadas para desfrutar de um ambiente ímpar, confraternizando sem preocupações com a condução porque, até ao jantar de receção, no agradável restaurante Cota Máxima onde se comeu, bebeu, mataram saudades e colocou a conversa em dia, a viagem era curta e de… autocarro!

Mas as surpresas não ficariam por aqui e, no dia seguinte, sexta-feira, o arranque do Moto Rali frente à Câmara Municipal de Santa Comba Dão, num dia ‘útil’, facto inédito no panorama mototurístico nacional. Que prova a apetência do Moto Clube do Porto em primar pela inovação… E antes das surpresas pelos mais recônditos cantos da Beira Alta, outra novidade sob a forma de um passeio pedestre pelo bem conservado centro da cidade beirã. Passeio revigorante atrás de um salazar que, afinal, não era o famoso António de Oliveira, filho da terra, mas outro bem conhecido de todas as cozinheiras, utensílio que evita desperdícios, rapando tachos e tijelas. Descansando no topo de rústicas escadas de pedra, um cozinheiro fardado a rigor mostrava o salazar entregando, a quem reconhecesse o artefacto, a indispensável folha com as perguntas a que haveriam de responder ao longo de dois animados dias.

Da lixeira ao paraíso passando por terra de heróis

Documento de enorme utilidade poucos quilómetros depois do arranque, deambulando por estradinhas, estreitas mas rolantes, de agradável contorno verdejante, até ao Couto do Mosteiro onde era testada a atenção dos participantes para recordar o número de polícia da sede de campanha eleitoral do presidente da autarquia Leonel Gouveia. Sempre atentos aos relógios, mantendo um ritmo o mais turístico possível, os participantes iam visitando alguns locais e parando noutros, como na Junta de Freguesia de S. Joaninho para um apetecido café, procurando passar em cada controlo secreto no minuto exato. Tarefa nem sempre bem-sucedida até porque alguns jogos, perguntas ou visitas obrigavam a perder mais tempo, como a interessante visita ao Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos que, desde 1999, serve 19 municípios do Planalto Beirão, concebido para responder às necessidades ambientais dos concelhos envolventes. A Central de Valorização Orgânica marcou o fim das lixeiras municipais, recebendo e tratando 130 mil toneladas de resíduos por ano, transformando-o em 3 MW de eletricidade injetados na Rede Elétrica Nacional (REN).

Terminada a interessante descrição de uma infraestrutura com potencial praticamente desconhecido e com a aparição de uns quantos pingos de chuva, que só intimidaram os mais precavidos que foram vestindo os fatos de chuva, continuou a aventura da descoberta rumo ao Caramulo, com as nuvens a tentarem, sem grande êxito, roubar o protagonismo ao Sol. Que, insistentes, ajudou a desfrutar a espetacular estrada de subida da serra, com paragem no lugar da Amieira para testar a pontaria, prosseguindo até ao Caramulinho. Momento de exercício físico do dia, com subida, a pé, dos 284 degraus até ao ponto mais alto da serra do Caramulo onde foi preciso recuperar o folego com ar puro da região antes de responder a mais uma pergunta secreta, lamentando o nevoeiro que impediu apreciar as magníficas paisagens que se abrem em redor daquele ponto. Já a descida foi mais rápida, até porque esperava o almoço no restaurante Varanda da Serra, depois da rápida passagem pela Rampa de Parapente, no Cabeço da Neve, e pelo Museu do Caramulo, em cuja importante coleção de automóveis está o mais antigo automóvel ainda em funcionamento em Portugal, o Peugeot de 1899, entre muitos exemplares de grande relevo na História nacional.

De estômago reconfortado e com o sol a ganhar definitivamente preponderância no horizonte, alargando as paisagens e secando por completo as boas estradas, a tarde reservou mais umas quantas surpresas, a começar pelo conselho de levar uma moeda no bolso. Tudo para mais um imaginativo controlo secreto, feito a partir de uma cabina telefónica pública, a caminho de Cabanas de Viriato com uma passagem pela mais famosa estrada do sistema rodoviário nacional, a N2. Ali, em Cabanas de Viriato, visita à casa do mais aclamado cidadão, descobrindo a história de Aristides de Sousa Mendes, verdadeiro herói esquecido. Desacreditado por salvar milhares de vidas durante a 2ª Guerra Mundial, ignorando as ordens diretas de Salazar para não se envolver e evitar provocações à Alemanha, abdicou da vida faustosa e bem-sucedida em prol do respeito pela vida humana, seguindo a sua consciência ao assinar milhares de salvos condutos antes de regressar à metrópole. Durante 3 dias e 3 noites, trabalhou com a mulher e os filhos para permitir que milhares de judeus fugissem dos campos de concentração nazis e passassem por França, Espanha e Portugal rumo a nova vida nos Estados Unidos. A casa que outrora acolheu festas da alta sociedade portuguesa e nas quais o próprio Salazar era presença assídua, está completamente em ruínas por dentro mas tem o exterior recuperado, revelando nítida inspiração na arquitetura francesa, resultando dos vários anos que desempenhou funções de Cônsul de Portugal em Bordéus.

Herói nacional que sempre esteve no coração dos cabanenses, foi recentemente considerado como a 3.ª pessoa mais conhecida na História do País, não só por acolher muitos refugiados na Casa do Passal, como pelo testemunho da sua generosidade, dando doces aos miúdos da escola localizada mesmo em frente, ou distribuindo a ‘sopa dos pobres’ pela população todas as quintas-feiras. Por isso, os habitantes de Cabanas de Viriato – onde também terá vivido o herói lusitano Viriato – não aceitam de bom grado a trasladação de Aristides de Sousa Mendes para o Panteão Nacional. Ideia defendida também pelo presidente da Junta de Freguesia local, Nuno Seabra, que encabeça empenhada luta na recuperação do património e transformação em Casa Museu.

Momento de forte carga histórica, que continuou com o vislumbre do imponente Cristo-Rei, transportado da Bélgica em enormes blocos de granito, prosseguindo com a descoberta do pequeno Santuário Nossa Senhora da Esperança onde se destaca a original pia batismal, concebida a partir de enorme concha de origem marítima. Do património religioso para atividades bem mais pagãs, paragem em Nagozela para lanche animado com peculiar jogo do pau, tentando acertar, de olhos vendados, num pobre coelho de páscoa. Derradeiro desafio do dia, fortemente apoiado pela União de Freguesias de Treixedo e Nagozela, antes do regresso do Montebelo Aguieira Lake Resort & Spa, onde estavam reservadas mais surpresas.

Brindados por um… campeão olímpico!

Algumas que, de tão inesperadas, até surpreenderam os organizadores, como a presença de Carlos Lopes, campeão olímpico da maratona em 1984, nos Jogos Olímpicos disputados em Los Angeles, e que foi importante ajuda no sorteio e entrega de brindes, bem apoiado pelo neto Salvador e pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, Joaquim Agostinho Marques. Momento para fotos históricas com um dos melhores atletas portugueses de todos os tempos, enquanto a banda do padre Pedro Leitão, de Santa Comba Dão, os ‘Full Glass’ enchiam o copo com temas bem conhecidos, que muito empolgaram todos os presentes, arrastando para animado pé de dança a que ninguém resistiu.

A noite animada que marcou o final do primeiro dia não impediu que, à hora marcada, todos os participantes estivessem à porta do complexo hoteleiro para o arranque para a curta mas intensa segunda etapa. Aquela que, afinal, decidiria os vencedores da 1ª jornada do Troféu de Moto Ralis Turísticos, bem a tempo de rolarem para casa e preparar a presença no Dia do Motociclista, em Albufeira. No arranque para dia animado, as promessas de aventura nas margens da albufeira da Barragem da Aguieira ficaram pelos primeiros metros, com vários carros atascados a impediram a passagem das motos e obrigando a percurso alternativo até à antiga Escola Primária que serve de sede à Associação do Rancho Folclórico de Danças e Cantares As Lavadeiras do Mondego, em Póvoa dos Mosqueiros. Onde o professor Udurico Xuxu presidiu a surpreendente e rigorosíssimo exame de matemática da 4ª Classe, provando a falta que fazem as máquinas de calcular ou os telemóveis. Não só proibidos como até inexistentes no tempo do Estado Novo… 
Muitos chumbos depois, algumas reprimendas e até umas admoestações mais ríspidas, de vara em riste, seguiu a caravana para São João de Areias para testar o ouvido em novo exame… desta vez musical. Timbres de percussão junto à Clave que ornamenta o jardim da Junta de Freguesia e que nem todos tiveram ouvido para destrinçar. Teste efetuado antes de assistir ao ensaio da Orquestra Jovem da Banda Filarmónica de São João de Areias que, além da importância da música na vida dos jovens, deve ser enaltecida pela importância social de uma associação que, de forma ininterrupta, dá música há 144 anos. Descoberta proporcionada por Sérgio Teixeira, motociclista e músico, que, juntamente com a esposa Elsa, muito ajudou a descobrir as maravilhas do concelho santacombadense.

Apoio enaltecido no almoço final, que contou com as presenças do presidente e vice-presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, Leonel Gouveia e Joaquim Marques, além dos presidentes das juntas de freguesia de São João de Areias (Alfredo Hervet) e de S. Joaninho (João Cruz). Troca de lembranças entre entidades e o Moto Clube do Porto, sublinhadas por discursos entusiasmantes, comprovando a vitalidade e dinamismo do mototurismo em Portugal, e que ficaram completos com a divulgação dos resultados do 25º Moto Rali do Moto Clube do Porto. Entre todos os vencedores de dois dias de grande animação, coube ao leiriense João Silva ser o menos pontuado, vencendo por um ponto apenas sobre Vera Santos. Dobradinha do simpático casal aos comandos das Royal Enfield Himalayan que foi a surpresa final, com o experiente coimbrão Rui Girão no terceiro posto.