Se o destino for alcançável de moto
nós iremos lá!

Webmail Área Reservada

A voz do Fundador - Abilío Ramos

Por Abílio Ramos - sócio nº 12 de 14 de Maio de 1986

Tudo começou em 1983 com a compra de uma Vespa 50 cc. (quitada). Nada me dava mais prazer que acordar num domingo, bem cedo, e ir passear de moto. Muitas vezes deixava o carro em casa e ia trabalhar de Vespa – eram só vantagens! E foi a partir desta altura que a minha companheira e eu começamos a fazer as nossas primeiras viagens, ir à Mealhada comer um leitão, visitar Ponte de Lima por causa do sarrabulho e muitos mais locais teria para mencionar.

No mesmo local onde tinha comprado a Vespa, comecei a namorar uma verdadeira ”moto” Honda CB 360. Que grandes viagens fizemos. Já nos aventurávamos até à Corunha. Nos locais de Espanha por onde parávamos rapidamente éramos abordados por outros viajantes de moto que queriam saber tudo de nós e da nossa Honda. Na estrada todos os Motards se cumprimentavam.

Sempre que alguém estava parado na estrada facilmente outro motard parava para oferecer a sua. Esta forma de estar cativou-nos e entusiasmou-nos para continuarmos a viajar cada vez mais. A primeira ida a Jarama foi o salto para outras máquinas (motos) e para muitas viagens de férias. Por intermédio de amigos comecei a comparecer às mini-concentrações das sextas na Foz e foi aí que fiz a minha inscrição para sócio (quem não se lembra do Luís Travessuras a fazer as suas acrobacias na DT). E como sócio fui à primeira concentração a Orense com o Sr. Garcia sempre à frente a marcar o ritmo. Foi o início de muitos quilómetros por essa Europa, quase sempre nas férias, ou idas a concentrações e, durante anos, o assistir ao vivo em Espanha todo o ambiente dos grandes prémios (grandiosas manifestações de apaixonados por Motos).

Quero deixar aqui o meu agradecimento aos sócios que têm dado muito do seu tempo (Direcções) para que o Moto Clube do Porto seja uma referência nacional.